terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

O Alambamento


A grande maioria da sociedade tradicional angolana, tem como figura principal a mulher. É ela que trabalha a terra para sustento da família e gera os filhos que dão continuidade e poder ao clã. Ou seja eles são uns lambões e elas é que andam na labuta de sol a sol com os putos às costas. Por este motivo a saída da mulher da casa dos pais para a casa do marido, constitui para aqueles a perda de um precioso elemento de trabalho e, como tal eles merecem ser compensados por tal perda. Na realidade o Alambamento é a cerimónia para marcar a data do Casamento, o pedido à família da noiva. Na altura em que o noivo pretende pedir a mão da noiva em casamento, a família da noiva, geralmente os tios e tias, juntam-se e elaboram a carta do pedido.

O que é então a “Carta do Pedido”?
Trata-se de uma lista elaborada pelos tios, onde consta uma relação de coisas que o noivo tem de “comprar” para oferecer à família da noiva, como indemnização pelos gastos feitos com ela desde o seu nascimento até ao dia do casamento.
Basicamente é um dote que representa um bem valioso porque quanto maior o pagamento, maior prestigio terá a noiva. Nesta lista constam coisas tão originais como, o fato para o pai da noiva, fatos para os tios, panos para as tias, cerveja, vinho, gasosa, cabrito, boi e ainda dinheiro que pode variar entre as poucas centenas e os milhares de dólares. Este valor pode ainda ser superior, caso o noivo tenha saltado a janela... Saltar a janela significa que a noiva engravidou antes do casamento e claro, é justo que o pedido seja reforçado.

Na altura da entrega da carta do pedido, é marcada uma data para que o noivo possa voltar com o pedido feito, ou seja, com tudo o que consta na carta. De realçar que na altura da entrega do pedido, nem a noiva, nem o noivo assistem à entrega do mesmo, deixando esse trabalho para a família (pais e tios dos noivos). Cabe aos tios da noiva, conferir a entrega com o pedido que foi feito. Só depois de verificarem que está tudo em conformidade, é que o noivo é chamado à cerimónia, para que se inicie a marcação da data do casamento. Nesta altura o noivo é trazido às cavalitas por uma das tias da noiva, e à medida que vai passando pelos panos das tias estendidos no chão, tem de ir deixando dinheiro em cada um deles.

Isto é sempre a deslargar bué kumbu... Para além de não estar a ver a Ti Belita a alancar comigo às carrapichas!!!

Agora já só falta a noiva aparecer. Onde estará?
As tias geralmente dizem que está longe, muito longe e que precisam de dinheiro, muito dinheiro, para o candongas a ir buscar. Tretas, balelas. Está sempre ali por perto, normalmente no quarto ao lado, é mais uma artimanha para explorar o pobre coitado.

Aviso à navegação, pensem muito bem antes de dicarem uma angolana…

Depois do noivo largar mais uns kuanzas para o táxi, lá chega a noiva à sala, dando-se finalmente lugar à marcação da data do casamento. Escusado será dizer que esta cerimónia acaba com grande festão regado com o vinho, as cervejas e a comida que o noivo acabou de oferecer.

Só para perceberem a importância que este ritual tem na sociedade angolana, uma das marcas mais famosas de vinho em Angola está a usar o ritual do Alambamento num filme publicitário. Tá bem esgalhado, sim senhor, acredito que as vendas melhorem.

ps: agradecimento ao Conde de Angola pela inspiração.

5 comentários:

Gedeao disse...

Komé Dred, vê se usas o português corretamente, porque esss mambo é prá levar a sério. Hala back yo

laila disse...

ola eu sou a laila dos santos os meus pais bacongo e eu ja vi alguns alembamentos das minhas primas e irmãs.so nao entendo o porq q qundo as tias vao burcar a noiva ela vem coberta

laila disse...

ola eu sou a laila dos santos os meus pais bacongo e eu ja vi alguns alembamentos das minhas primas e irmãs.so nao entendo o porq q qundo as tias vao burcar a noiva ela vem coberta

Anónimo disse...

ola sou o Rogelson ja vi muintos alambametos.

Domingos Mateus Figura disse...

O Alambamento é uma forma da moral cultural do povo Congo, usado
pelo qualquer homem que cruzar com uma mulher Bacongo no acto do
pedido de uma mulher diante dos seus pais, ritualmente para dignificar e
respeitar a mulher Bacongo.
Bacongo etmologicamente quer dizer: Ba quer dizer, pertencente a, isto é,
Bacongo quer dizer Povo Congo.